Mídias Sociais na Educação – O Lado Bom

Mídia social não é mais apenas sobre compartilhamento de informações ou se comunicar com outras pessoas. Ela abriu suas asas para vários outros campos e a educação é um dos novos setores onde o conceito de social media está fazendo uma grande mudança.

Um estudo recente mostrou que os sites de mídia social como Facebook e Twitter tem milhões de visitantes regulares. A Estimativa mostra que dentre os estudantes universitários, mais de 90% visitam sites de redes sociais regularmente. Mais e mais estudantes começaram a usar as mídias sociais, e não apenas para comunicar, mas para coletar informações, compartilhar idéias e criatividade. Na verdade, quando falamos sobre os benefícios do uso de mídias sociais e sites de redes em instituição de ensino, nunca podemos olhar para longe do fato de que esses sites de redes sociais estão ajudando os alunos introvertidos a sair do armário e encontrar outros estudantes, o que é muito importante para uma vida saudável desse estudante.

Um conceito bem novo no mundo da educação, a mídia social tornou-se um dos temas mais debatidos nos últimos tempos entre os professores, alunos e professores universitários. Com mais e mais escolas e instituições de ensino estão lenta, mas firmemente adotando as mídias sociais na educação, como revelado na pesquisa realizada pela Universidade de Massachusetts Dartmouth, que mostra que cerca de 100% dos colégios abriram suas portas para diferentes tipos de plataformas sociais. Este é, de fato, uma ideia inteligente porque ela cultiva habilidades de liderança entre os estudantes, desde o planejamento para organizar um evento que pode trazer uma mudança tanto na plataforma social e democrática.

Hand holding a Social Media 3d Sphere

Falando sobre outros possíveis benefícios que o engajamento de mídia social em escolas e faculdades pode trazer, não devemos deixar escapar o fato de que esse tipo de interação pode ajudar os alunos em suas perspectivas de futuro através de sites como o LinkedIn, que ajuda pessoas com emprego. Além disso, a grande variedade de informações disponíveis nos sites de redes, molda até a capacidade dos alunos para analisar e extrair informações úteis e relevantes. A elevada quantidade de interesse e de concentração investidos pelos estudantes nas mídias sociais pode aguçar a capacidade de raciocínio prático, mas então, os alunos devem conhecer a maneira de distinguir o útil das distrações.

Quando você vê um lado da moeda, há o outro lado também! Quando a mídia social pode trazer algumas mudanças positivas no mundo da educação, tem o seu lado negro também. Como muitos pesquisadores e estudiosos acreditam que o excesso de tempo gasto no Facebook, Google e outros sites de redes pode levar à perda de paciência já que usuários de mídias sociais têm mais uma tendência geral para passar de uma página para outra com muita freqüência. Outra preocupação primordial com as pessoas contra o uso das mídias sociais nas escolas é a forma como o uso da linguagem vem mudando. Sites como o Twitter permite que você publique suas idéias em apenas 140 caracteres, que por sua vez, impede a pessoa a usar palavras grafadas totalmente. Em vez disso, a maioria dos usuários usa formas abreviadas como “vc” em vez de “você”, “kd” no lugar de “cadê”, “qq” no lugar de “qualquer” e assim por diante. A utilização prolongada deste tipo de linguagem tem levado ao desenvolvimento de linguagem separada de mensagem, que está afetando a linguagem escrita convencional também.

De qualquer modo, a crescente popularidade das mídias sociais mostra que a tendência vai permanecer e vai influenciar cada fase da vida. Assim, cabe aos estudantes e estudiosos decidir como as mídias sociais podem ser usadas de uma forma mais clara; como evitar a distração e em vez disso, vagar sem rumo pelos sites e promover a aprendizagem real no mundo virtual.

Mídia Social