Diferenças gramaticais entre o inglês britânico e o inglês americano

O inglês americano (AmE) difere em alguns aspectos do inglês britânico (BrE).

Present Perfect – simple past

No inglês americano, tanto o present perfect quanto o simple past são usados para relatar algo que tem efeitos no presente. O simple past é freqüentemente usado com justalready,yetever e before.

  • (AmE): Sonia just phoned.
  • (BrE): Sonia has just phoned.
  • (AmE): Did Tom come home yet?
  • (BrE): Has Tom come home yet?
  • (AmE): Bill broke his leg, so he can’t drive us.
  • (BrE): Bill has broken his leg, so he can’t drive us.

No inglês americano, o particípio do verbo get é gotten.

  • (AmE): He‘s gotten much fatter since I last saw him.
  • (BrE): He‘s got much fatter since I last saw him.

mustn’t – needn’t

O uso de needn’t é raro no inglês americano. Em seu lugar, usa-se don’t need to e don’t have to.

  • (AmE): I don’t have to / don’t need to leave before 9:30.
  • (BrE): I needn’t / don’t have to / don’t need to leave before 9:30.

O artigo definido the

University e hospital são usados com the no inglês americano, mesmo quando se fala da função e da freqüência (usuários) da instituição.

  • (AmE): My father was in the hospital for two weeks last year.
  • (BrE): My father was in hospital for two weeks last year.

Nomes próprios de pontes (americanas) vêm com the no inglês americano.

  • (AmE): This is a photo of the Brooklyn Bridge.
  • (BrE): This is a photo of London Bridge.

No caso de instrumentos musicais, o artigo é às vezes omitido.

  • (AmE): Don plays piano.
  • (BrE): Don plays the piano.

 

Fonte: Tecla SAP

Mito: O Inglês Britânico é Mais Fácil de Entender

Antes de qualquer coisa é preciso entender o que é o inglês britânico. Para ser sincero eu não faço a menor ideia do que realmente seja esse inglês. Por quê? Bom, tenha em mente que a Inglaterra é apenas um dos países que faz parte do Reino Unido. Dentro da própria Inglaterra há diferentes sotaques e variantes da língua inglesa. Essas diferenças são divididas em dois grandes grupos: Northern England(norte) e Southern England (sul). Mas, dentro desses dois grandes grupos há ainda subgrupos e cada um com características próprias. Portanto, o que é mesmo o inglês britânico se dentro da Inglaterra encontramos diferenças!?

UKUm pouco mais para cima temos a Escócia que também possui um inglês próprio (sotaque, vocabulário, usos gramaticais, etc.). Não podemos esquecer a Irlanda do Norte e o País de Galês que também possuem uma língua inglesa própria deles. Todos esses países – Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Galês – formam o que chamamos de Reino Unido. Embora politicamente unidos, cada país tem cultura própria e quando falamos de cultura temos de entender que a língua se inclui no conjunto; ou seja, cada país terá um inglês com características regionais próprias.

Isso significa que a coisa é tão complexa que não sabemos exatamente o que é o tal inglês britânico. O que realmente sabemos é que as pessoas chamam de inglês britânico, o que os especialistas chamam de Received Pronunciation (abreviado para RP). E o que é essa tal de Received Pronunciation?

RP é uma das variantes da língua inglesa, comum dentro do Reino Unido, e tido como a variante de prestígio social e educacional. Ou seja, é a variante usada por pessoas das altas classes sociais e/ou com bom nível de educação escolar. É a variante usada pela rainha em seus discursos. É também a variante usada pela BBC (British Broadcasting Corporation). É a forma usada nas escolas (Eton e Harrow, por exemplo) e faculdades (Oxford e Cambridge, por exemplo). O serviço militar também o adota em suas incursões pelo mundo. Enfim, é um modo padrão da língua inglesa.

Uma das características marcantes da RP é que ela é “pura”. Isto é, quem a usa procura pronunciar as palavras de modo claro e utilizar um vocabulário que seja reconhecido por todos. As estruturas gramaticais são organizadas de acordo com o “padrão”. Trata-se, portanto, de um inglês mais “limpo” (pronunciado com calma e de modo padrão), menos complicado (o falante fala mais devagar), sem interferências regionais (gírias, expressões, pronúncia, etc.). É por conta dessas características que a RP é, sem dúvidas, mais fácil de entender do que qualquer outra forma. No entanto, ela é apenas uma forma da língua inglesa!

Para ficar mais claro esse assunto, vamos fazer um paralelo com a língua portuguesa. O menino da favela e o filho do camponês do interior do estado falam uma língua portuguesa própria deles (vocabulário, pronúncia, gramática, etc.). Essa é a língua portuguesa que eles usam com os amigos e familiares nas relações cotidianas. Ao entrarem na escola, eles passam a ter contato com a normal culta da língua portuguesa. Nesse momento, o professor de português deve mostrar a esses alunos que o português deles não é “errado” ou “feio”; mas, o fato é que nas relações sociais neutras e formais do dia a dia (trabalho, faculdade, reuniões de negócios, etc.) eles devem usar a norma culta da língua. Ou seja, eles então aprendem outra forma da língua sem que a deles seja menosprezada ou ridicularizada.

O que acontece no dito “inglês britânico” (leia-se RP) é justamente isso: cada pessoa pode falar o seu inglês regional; mas nas relações sociais neutras ou formais utilizam a Received Pronunciation. Isso demonstra mais educação, mais respeito com o interlocutor e evita ruídos na comunicação (más interpretações no que é dito).

Durante anos, a maioria dos materiais didáticos voltado para o inglês britânico tem utilizado o RP nas suas atividades de compreensão auditiva, leitura, escrita, pronúncia, etc. Trata-se do inglês considerado padrão entre os países que formam o Reino Unido e também os países por eles colonizados (Canadá, Austrália, Índia, etc.).

Como o RP é mais “limpo”, falado com calma, etc., as pessoas tem a sensação de que o inglês britânico é mais fácil de aprender e entender. Na verdade, é apenas essa variante que aparenta ser fácil. Mas, garanto a você que se você for para uma região da Inglaterra e começar a conviver com as pessoas, você terá a sensação de que inglês britânico não é tão fácil assim. Somente com o tempo você se acostumará com o modo como eles falam inglês. Enquanto isso o RP será a sua salvação e torça para que alguém o use ao falar com você; caso contrário, você terá de se virar nos trinta (ou muito mais tempo) para entender o que eles dizem.

Será que ficou claro esse assunto? Quer comentar algo? Então, deixe seu comentário abaixo! Quero realmente saber o que você tem a dizer sobre esse assunto! Take care!

 

Texto escrito originalmente por Denilso de Lima para o site Inglês na ponta da Língua.